DICAS AO CONSUMIDOR:


Diferente de muitos outros produtos, a grama não se vê na hora da compra. Por isso a importância de comprar gramas de empresas de boa procedência e qualidade.

Todo produtor de grama, para estar legalizado perante à lei, precisa ter o registro no RENASEM, que é o Registro Nacional de Sementes e Mudas.

Dependendo do produtor de acordo com a qualidade do cultivo que envolve desde boas mudas, adubação, irrigação, manipulação no corte, carregamento e entrega, a qualidade da grama pode variar significantemente e o menor preço pode não ser compensador.

Outro problema que você poderá ter ao comprar gramas de baixa qualidade é o rendimento no plantio. Gramas quebradas, com vários tipos de pragas ou cortadas de forma não uniforme tendem a render menos em relação à m² de áreas plantadas, fazendo com que o custo do plantio seja maior e com isso perdera muito mais tempo.

COMO PLANTAR SUA GRAMA

Preparação de solo para plantio de grama:
Antes de plantar a grama remova todos os resíduos indesejados do local a ser gramado como por exemplo, entulhos, pedras, madeiras, pragas, ervas daninhas, etc.

O plantio da grama por placas ou tapetes:
Gramados podem ser implantados de diversas formas. Os tapetes e as placas. Apesar de ser a opção mais cara, são mais práticos e oferecem resultado imediato. A grama demora cerca de dois meses para ficar bonita e com aspecto natural, mas a qualidade das mudas já pode ser verificada na hora da compra.

O processo para implantar placas e tapetes é o mesmo: basta colocar as peças uma ao lado da outra, bem niveladas, e jogar um pouco de substrato nos remendos. Em terrenos planos, as placas devem ser colocadas lado a lado. Já em terrenos inclinados, o ideal é colocá-las na diagonal, para evitar a erosão. Também é importante que o terreno em que serão aplicados os tapetes ou placas esteja de 3 a 5 cm abaixo do nível final.

Logo após o plantio e, todos os dias, durante duas semanas, deve-se regar o gramado, sempre sem encharcar o solo, para ajudar na formação do sistema radicular das gramas.

Rega:
Uma das dúvidas muito frequentes diz respeito à quantidade de água a ser fornecida para a grama. A regra básica é que – como todas as plantas – o gramado não deve ser encharcado no tratamento de manutenção. Com o tempo e utilizando o seu bom-senso, é possível chegar à quantidade adequada de água. Tocar a terra durante a rega pode ajudá-lo a verificar a quantidade de água já fornecida, ao sentir a umidade da terra. Conforme o clima da região e a espécie de grama, a irrigação deve ser feita com maior ou menor freqüência. Nos primeiros 15 dias de plantio, a rega deve ser diária, sendo que no verão 2 x por dia e no inverno 1 x na parte da manhã, para evitar aparecimento de fungos.

Poda:
A poda é muito importante, pois fortalece o gramado. Dependendo da espécie, a grama cresce mais rapidamente ou mais lentamente. Em geral, aquelas indicadas para climas quentes crescem mais rápido. Devem, portanto, serem podadas com freqüência. A necessidade de poda pode ser verificada pelo tamanho das folhas. Em geral, ao atingirem 2 a 3cm já podem ser podadas. Não esqueçam que toda poda da grama não deve ser maior do que 1/3 da folha para não prejudicar sua fotossíntese que é sua fonte natural de energia e fundamental para seu desenvolvimento.

Adubação:
É preciso garantir nutrientes para o gramado. Além de material orgânico, o sólo precisa de fertilizantes ricos em nitrogênio, fósforo e potássio. Isso é feito através da adubação orgânica e /ou química. Aqui, todo cuidado é pouco, pois o adubo pode queimar as folhas. Por isso, quando a adubação é feita, o gramado deve ser muito regado. Pode-se utilizar 20g, por exemplo, de NPK ( uma combinação de material orgânico e fertilizantes ) para cada m2 de área gramada. Sob árvores, a dosagem deve ser dobrada. O recomendável é contar com serviços de profissionais, que saberão executar o serviço sem causar danos à grama. Geralmente, a adubação é feita na primavera, mas também varia de acordo com cada espécie.


Empresa


Gramas


Dicas


Fotos


Orçamentos


Contato